O termo “água” em Jo 3.5 refere-se ao batismo?

Existem muitos textos da Bíblia Sagrada que são interpretados de forma isolada, e com isso muitas heresias e falsas doutrinas têm sido propagadas no decorrer da história da Igreja de Cristo. Um dos versículos que tem sido tomado de forma solitária com o pretexto de fundamentar falsas doutrinas é o de Jo 3.5, onde no decorrer do seu diálogo com Nicodemos, príncipe dos judeus, o Senhor Jesus lhe disse: “[…] na verdade, na verdade te digo que aquele que não nascer da água e do Espírito não pode entrar no reino de Deus” (Jo 3.5).

A que se refere Jesus quando usa a palavra “água”? Há alguns que acreditam e pregam que Jesus refere-se, no texto em questão, ao batismo. Há também alguns que, de uma forma ainda mais equivocada, afirmam que o Senhor está se referindo ao seu próprio batismo nas águas, como é o caso dos seguidores de Paul C. Jong, fundador de um movimento pseudo-religioso chamado “Missão Nova Vida”, o qual afirma em um de seus livros distribuídos gratuitamente:

“O que são então essa ‘água’ e esse ‘Espírito’ que nos leva a nascer de novo? A água na Bíblia diz respeito ao ‘batismo de Jesus’. Por que Jesus, sendo Deus, foi batizado por João Batista? Foi para mostrar sua humanidade? Para declarar que ele era o messias? Não. Não foi por isso.”[1]

Os que dizem estar Jesus referindo-se ao batismo nas águas devem encarar a seguinte implicação: quem não for batizado nas águas não terá o direito de entrar no reino de Deus, ou seja, não poderá ter direito ao céu, e consequentemente será condenado ao inferno. O que dizer, então, do malfeitor arrependido que foi crucificado juntamente com Jesus? O tal homem não foi batizado nas águas, contudo Jesus garantiu a salvação:

“E disse a Jesus: Senhor, lembra-te de mim, quando entrares no teu reino. E disse-lhe Jesus: Em verdade te digo que hoje mesmo estarás comigo no Paraíso” (Lc 23.42,43).

Mas dirá alguém: “o malfeitor não foi batizado nas águas porque não teve uma oportunidade; está é uma exceção”. Temos, então, uma contradição. Precisamos abraçar apenas uma das duas opções: ou o malfeitor arrependido foi para o inferno por não ser batizado nas águas, ou não é necessário o batismo para que alguém seja salvo.

O batismo, na verdade é meramente um ato representativo do nosso arrependimento (cf. 1Pe 3.21) e um testemunho da nossa fé. Por este motivo, o foco principal do apóstolo Paulo não era o batismo nas águas, mas a pregação do evangelho de Cristo:

“Porque Cristo enviou-me não para batizar, mas para evangelizar; não em sabedoria de palavras, para que a cruz de Cristo se não faça vã” (1Co 1.17).

E se a água refere-se ao batismo de Jesus, como afirmam os seguidores de Paul C. Jong, e se é preciso crer no batismo de Jesus para alguém ser salvo, como afirmam, por que os apóstolos não pregavam a necessidade de crença no batismo? Logicamente, entendemos que verdadeiramente precisamos crer em Jesus para sermos salvos (Rm 10.17), e quem crê em Jesus de forma sincera, consequentemente crê em todos os seus atributos. Por este motivo simples, Paulo, em sua pregação não reconhecia a necessidade de discorrer sobre o batismo de Jesus, mas sobre a sua crucificação:

“Porque os judeus pedem sinal, e os gregos buscam sabedoria; mas nós pregamos a Cristo crucificado, que é escândalo para os judeus e loucura para os gregos” (1Co 1.22,23).

Mas o que significa, então, a “água” em Jo 3.5? A “água” é usada num sentido figurado para representar a palavra de Deus, a qual verdadeiramente nos limpa (cf. Jo 15.3; Ef 5.26). É através da Palavra de Deus que nascemos de novo, e não pelo batismo, pois está escrito:

“Segundo a sua vontade, Ele nos gerou pela palavra da verdade, para que fôssemos como primícias das suas criaturas” (Tg 1.18).

“Sendo de novo gerados, não de semente corruptível, mas da incorruptível, pela palavra de Deus, viva e que permanece para sempre” (1Pe 1.23).

Concluímos, então, que na verdade o novo nascimento se dá pela palavra de Deus e pelo Espírito de Deus, e que a “água” que nos faz nascer de novo é a palavra de Cristo, que limpa completamente o nosso interior, não sendo o batismo um ato que garante ou deixa de garantir a salvação.



[1] Você verdadeiramente nasceu de novo da água e do Espírito?, Paul C. Jong, Hephzibah, 2002, p. 7

Ev. Jaiton P. de Paiva

Phasellus facilisis convallis metus, ut imperdiet augue auctor nec. Duis at velit id augue lobortis porta. Sed varius, enim accumsan aliquam tincidunt, tortor urna vulputate quam, eget finibus urna est in augue.

2 comentários:

Evangelista Jailton P. de Paiva disse...

A missão Nova Vida é equivocada em quase todos os seus pontos doutrinários. Em nossos dias muitos partidos sectários têm saído de nossos meio com o objetivo de nos afastar da verdadeira comunhão. Devemos estar atentos e vigilantes, pois Jesus em breve virá!

Apodi pra JESUS disse...

Olá Irmão, já esta disponivel no blog Apodi pra Jesus o link do blog do amigo, gosterimaos que o amigo tbm colocasse o nosso link.